Select Page

O empreendedor que sabe como precificar produtos e serviços tem uma ampla vantagem em relação aos concorrentes, já que ele chega em um valor que atrai o público-alvo, torna o negócio mais competitivo e garante, assim, bons lucros para o negócio. Nesse contexto, os gestores que não dão a devida importância a esse processo têm problemas para conseguir uma fatia no mercado.

Se você quer evitar esse problema e conquistar o sucesso na sua área, confira este artigo e saiba a relevância prática da definição de preços e como fazê-lo corretamente! Boa leitura!

Qual a importância da definição de preços?

Esse processo traz uma ampla gama de vantagens ao negócio, entre os principais ganhos estão:

  • satisfação do cliente: faz com o que cliente prefira seus serviços e contribui para sua fidelização;
  • definição melhor do público-alvo: o preço é um dos coeficientes que determinam o público que a empresa deseja atingir;
  • enfrentamento da concorrência: é possível definir preços mais atrativos que os concorrentes, o que aumenta sua competitividade no mercado;
  • melhora nos resultados: todos os benefícios acima garantem melhores vendas, ticket-médio e resultados de forma geral;
  • auxílio na estrutura de planejamentos: o preço definido ajuda na realização de projeções, planejamentos, fluxo de caixa etc.

Como precificar produtos e serviços sem erro?

Existem várias táticas diferentes que permitem realizar a precificação. Nos tópicos seguintes, listamos as mais práticas e seguras.

Conheça custos e despesas

É muito importante conhecer todos os custos e despesas do negócio, pois é fundamental que o preço dos produtos e serviços sejam capazes de compensar todos os gastos do negócio. Mas primeiro, é necessário distinguir os dois conceitos. Os custos são todos os dispêndios ligados à aquisição e produção dos itens, como o pagamento de fornecedores e matéria-prima. Já as despesas são os elementos que dão suporte para que a empresa alcance suas metas, como as folhas de salários. Esse último conceito ainda se divide em duas categorias:

  • fixas: são aquelas que não têm relação com o custo do produto, como contas de água, luz, internet, taxas bancárias e seguros;
  • variáveis: se relacionam com o custo de produção, são as comissões de venda, embalagens, manutenção dos equipamentos etc.

Defina a margem de lucro

Aqui se define o lucro líquido da empresa com a venda do produto ou serviço. Não basta que o valor cubra os custos e despesas existentes, o negócio também precisa montar reservas financeiras, distribuir os lucros e atrair investidores.

Não existe uma margem de lucro ideal, o importante é que o gestor mantenha o equilíbrio e busque uma rentabilidade responsável. Se a margem for muito baixa, as finanças poderão ser comprometidas, enquanto percentuais elevados podem afastar os clientes.

Use fórmulas de precificação

Percebe-se que a precificação dos produtos pode ser subjetiva, já que depende das características de cada empresa e de seus objetivos. Mas de uma forma geral, a precificação é o resultado do custo do produto, as despesas fixas, percentuais de custos e outras variáveis e percentual do lucro.

Existem fórmulas que permitem maior precisão na definição; à primeira vista o cálculo pode parecer complexo, mas ele é simples e essencialmente importante ao negócio. Primeiro, é preciso calcular o percentual do custo fixo (CF) da produção:

% CF = média mensal de custo fixo * 100/ média mensal de vendas

Depois, calcula-se a taxa de marcação (TM):

TM = 1 – (% CC + % CF + % Lucro/ 100)

Nessa fórmula, CC consiste nos custos de comercialização, que são os relacionados com a venda dos produtos, como comissão e a carga tributária. Após calcular o TM, deve-se considerar o custo de mercadoria vendida (CMV), que é o valor pago para adquirir o produto que será vendido ao consumidor final. Ele é calculado dessa forma:

CMV = estoque inicial (EI) + compras (C) – estoque final (EF)

Com isso, você chega ao preço de venda à vista (PVV), veja a fórmula:

PVV = CMV/ TM.

Por exemplo, imagine que o CMV de um produto seja de R$ 50,00 e a TM de 0,5. Aqui, o preço de venda à vista será R$ 100,00 (50/0,5). Esse é um valor que suporta todos os custos do produto e ainda fornece um lucro satisfatório ao negócio.

Para realizar a precificação corretamente, é preciso contratar uma consultoria contábil, mas antes de fazê-lo entenda que existem diversas linhas de consultoria, sendo as mais adequadas para fornecer suporte na gestão a financeira e a contábil gerencial. Confira uma breve diferenciação dos dois conceitos:

  • contabilidade financeira: cuida das normas societárias e observa a legislação tributária para gera informações para usuários externos. Na prática, realizar atos como a publicação de balanços que mostram a posição patrimonial e financeira para usuários externos;
  • contabilidade gerencial: seu foco é voltado para a gestão interna do negócio portanto não segue regras tributárias ou leis societárias. O trabalho é realizado sobre estratégias e decisões financeiras que agregem valor à empresa e atua em todas as áreas: produção, finanças, comerciais, entre outras.

Saber como precificar produtos e serviços é ter equilíbrio no estabelecimento de uma política de preço. Contudo, o cálculo deve ser preciso e adequado à realidade da empresa, o que pode ser difícil de ser feito por alguém sem conhecimentos técnicos.

Nosso artigo foi útil e interessante para você? Então, siga nosso perfil no Facebook, Instagram, Twitter e LinkedIn e acompanhe nossas atualizações de perto! Esperamos por você!